Gastrobotânica: a alta gastronomia que prestigia somente vegetais raros! 

Os eco-chefs descobriram mais uma alternativa para diversificar seus pratos exóticos! É a gastrobotânica que chega para agitar a alta gastronomia! Chega mais e sinta o aroma da comida mais refinada do planeta!  

A gastrobotânica é resultado da fusão cozinha/meio ambiente

Os eco-chefes que aderiram à gastrobotânica, só trabalham com vegetais de origem conhecida. Hotéis ou restaurantes, cujos clientes são exigentes, aproveitam e divulgam seus pratos, exibindo o nome da fazenda ou da horta onde foram cultivados!

Definição clássica de gastrobotânica

Gastrobotânica é o fruto da investigação de novas espécies de vegetais, pouco utilizados, desconhecidos ou em processo de extinção. 

Os ingredientes mais usados são: raízes, talos, folhas, flores, frutas e sementes que, colhidos com rígido controle de qualidade, pois, obrivamente, precisam ser nutritivos e saborosos, têm supervisão de especialistas e estudiosos durante sua colheita.

A gastrobotânica é, portanto, a disciplina que une a gastronomia com a botânica.  

Em outras palavras, de um lado, a gastrobotânica promove as possibilidades de aplicação da culinária de legumes e de outro, incentiva o cultivo e a conservação de espécies vegetais raras,  incomuns para a gastronomia. 

"A essência da gastrobotânica é resgatar dos produtos esquecidos com um alto valor gastronômico, resgatando o prato para uma clientela exigente!" Rodrigo de la Calle (dono do primeiro restaurante de gastrobotânica do mundo e um dos inventores da gastrobotânica).

3 grupos de ingredientes que fazem parte da gastrobotânica:  

  1. Citrinos: o limão-pêra o um dos ingredientes mais utilizados dentro desse grupo. Embora ácido, é bastante doce e, por isso, seu sumo é um ótimo condimento para arroz e legumes. 
  2. Legumes do deserto: Dentre os legumes que formam este grupo, destaca-se a alga da terra. Trata-se de uma planta silvestre comestível que, por ser saborosa, dá um toque especial nas saladas mais exóticas.
  3. Tâmaras: As tâmaras possuem um alto valor energético. Por causa dessa riqueza em nutrientes, elas caem muito bem em pratos com queijo e alecrim.

Os foodies só adotam os 3 grupos de ingredientes 

O perfil dos foodies

  • Sofisticados

São aqueles que buscam experiências sensoriais originais e diferentes. Geralmente, suas "invenções gastronômicas" são compartilhadas nas redes sociais. É quando a gastrobotânica começa a ser mais difundida entre leigos e especialistas. 

  • Slowconsumers

Galera que pertence ao movimento slow que, como se sabe, se baseia na gestão do tempo com eficiência e consciência. Preferem investir algumas horas na cozinha com o objetivo de consumir pratos mais elaborados e naturais. A gastrobotânica os incentivou a utilizar somente vegetais raros. Defendem produtos artesanais originados somente de fazendas conhecidas.

  • Millennials

Geração dos anos 80 que busca dieta balanceada e nutritiva. São consumidores conscientes. Essa moçada antenada, não consome nada antes de consultar o valor nutricional do alimento. Eles não gastam muito tempo cozinhando, porque apostam nos alimentos mais naturais, podendo até mesmo comê-los crus. 

  • Anfitriões chics

O lema desse tipo de foodies, é, "quanto mais satisfeito estiver o convidado, mais feliz estou". A gastronomia é pura diversão! Em síntese, cozinham para dar prazer ao convidado. De preferência, pratos raros. A gastrobotânica alterou suas rotinas para melhor, pois agora o repertório de pratos aumentou. As redes sociais são a principal fonte de inspiração e o meio para divulgar suas criações culinárias! 

  • Descomplicados 

Para essa galera, o lema é “quanto menos complicada, mais saborosa a comida”. Isso não lhes tira o prazer pela novidade. Estão se ajustando à gastrobotânica, justamente porque não gostam de complicar. Seu ponto a favor, é a criatividade, por isso, seus pratos são exóticos e deliciosos. Das redes sociais, buscam novas ideias, mas não costumam perder tempo compartilhando as suas.

  • Econômicos

A relação custo-benefício é o fator essencial para manter o lema do "barato, mas gostoso"! Sua aposta está na qualidade dos ingredientes nutritivos e com preço razoável. Por incluir ingredientes mais raros, portanto, mais caros, a gastrobotânica pode demorar um pouco mais para ser adotada por esses foodies. Como são criativos e eméritos rastreadores de ideias simples, certamente, encontrarão vegetais raros, mas de preços acessíveis a todas as classes! 

A Greenco, como defensora da sustentabilidade, sabe que comida limpa de agrotóxicos, é tudo de bom na culinária da gastrobotânica! Confira as camisetas e outros produtos ecológicos. Sem pânico! É tudo orgânico!