Descubra porque a música quântica vai causar!

A música, já dizia o lírico, é idioma universal. Ela tem o poder de mexer com as emoções e alterar padrões. Mas, a música quântica é capaz de muito mais. Ela poderá modificar o DNA e revitalizar as células. Acredita nisso? Continue lendo.    

As ondas sonoras podem alterar comportamentos e ambientes. A música quântica vai mais fundo!

Como funcionará a música quântica?

No Modelo de Niels Bohr, a matéria é composta de átomos, partículas e elétrons, em níveis atômicos e subatômicos.

No nível subatômico, a matéria é um condensado de ondas em movimento, manifestando-se em variadas frequências, o que determinada sua forma.

Para a manifestação de variados tipos de sons, as frequências oscilam em diversas posições.

Em outras palavras, a matéria "dança conforme a música".

Se a frequência muda, a matéria também é modificada, ou seja, quando existe vibração no ar, uma onda eletromagnética sonora é criada. 

A frequência é o número de vezes que uma onda se repete a cada um segundo, sendo medida em hertz. Partindo desse princípio, foi idealizado o Quantum Music Project

O Projeto Música Quântica

A teoria do emaranhamento quântico, aliada aos estudos da acústica quântica, deram sustentação ao Quantum Music Project, patrocinado pela empresa TodaysArt. 

Os primeiros acordes da música quântica foram gerados num piano, cujas teclas com dispositivos, estavam ligadas a computadores.

O som quântico emitido pelo piano surpreendeu a todos: um misto de sintetizador com afinação perfeita! 

Como foi criada a música quântica

A geração da música quântica foi resultado da mistura de freqüências analógicas e quânticas tendo como modelo, o "Condensado de Bose-Einstein" (BEC).

O Condensado de Bose-Einstein (BEC) é um estado da matéria obtido quando um gás de átomos bosônicos (os bósons) se torna super-rarefeito, porque é resfriado a temperaturas próximas do zero-absoluto.

Em outras palavras, no momento em que a temperatura do gás atinge um valor crítico, os átomos se condensam, se tornando uma espécie de "superátomo".

Esse átomo, altamente condensado é, então, convertido em sons audíveis que são produzidos pelo piano, reverberando nos primeiros acordes da música quântica.

Como as ondas sonoras são o princípio da matéria, explica-se o poder que música quântica sobre ela!

Em seguida, foram produzidos o que se denominou de "sons híbridos". O próximo passo, foi testar novas composições quânticas em voluntários, quando foram mensurados seus resultados práticos. Assim, foi criada uma "Biblioteca de Sons Quânticos", a partir das fórmulas da Física Quântica!

A intenção é aumentar o leque de benefícios da música quântica, diferentemente dos efeitos dos sons binaurais. 

Os sons binaurais alteram mesmo os estados mentais e emocionais?

Especialistas afirmam que os sons binaurais geram efeitos positivos nas pessoas de acordo com o número de hertz que cada som produz.

Alguns dos benefícios que os sons binaurais causam nos seres humanos:

  • Equilibram a energia dos chakras

  • Reprogramam a mente na superação de traumas

  • Potencializam a aprendizagem

  • Regulam o sono

  • Aprofundam o estado meditativo

Sons binaurais, em tese, liberam endorfinas que podem alterar a predisposição de um estado mental ou emocional. 

A tecnologia binaural é baseada no projeto "Brain Entrainment" que consiste em sons similares aos pulsos neurais. Os sons binaurais são reverberados a partir da batida de dois tons com freqüências ligeiramente diferentes. Eles são tocados separadamente em cada ouvido (via fones de ouvido), fazendo o cérebro perceber e vibrar alterando suas "pulsações" de acordo com os objetivos de cada som.

As freqüências emitidas pelos sons liberam endorfinas que alteraram o estado mental ou emocional. Por outro lado, pesquisadores confiam que a música quântica poderá afetar não apenas os estados mentais, mas os fisiológicos e em escala molecular. 

A relação música/matemática não é uma tentiva recente

Por volta de 500 a.C., Pitágoras tentou "dar mais sentido ao seu mundo" através da criação de uma música baseada em números complexos e racionais. Seu objetivo era aplicar um raciocínio lógico-matemático para entender a relação entre o comprimento da corda de um instrumento e a nota produzida após a sua execução. 

Ao observar que determinadas combinações de notas musicais tinham um som mais agradável do que outras combinações, Pitágoras aplicou fórmulas matemáticas e, assim, conseguiu criar um sistema de afinação sem precedentes relacionando os acordes sonoros a partir das proporções matemáticas de suas freqüências.

Para Pitágoras, essa ainda não seria a "música perfeita" que tanto procurava. Então, ele olhou para o céu e se perguntou: "Não seria o universo uma lira gigante onde Deus toca sua música cósmica?"

Quem sabe a música quântica não seria aquela "música perfeita" que Pitágoras estava procurando?"