Conheça 10 benefícios do café cientificamente comprovados!

O café dispensa comentários, porque todo mundo (literalmente) o conhece muito bem. Mas, muita gente desconhece que a maioria dos benefícios do café foi cientificamente comprovada. Hora de confirmar. Busque seu cafezinho, quentinho, com aquele aroma irresistível e continue lendo.

O café pertence à família botânica Rubiaceae, que tem cerca de 500 gêneros e mais de 6.000 espécies.

A espécie mais produzida no mundo, é a Coffea arabica (ou ´café arábica´). A qualidade do café está relacionada ao grau de torra e aos diversos constituintes químicos dos grãos, incluindo proteínas, lipídios, carboidratos e outros compostos.

Cafeína: a alma do café 

A cafeína é uma das substâncias psicoativas mais populares do mundo, além de ser uma commodity mais negociada do que o chá e refrigerantes de cola. 

Desde que consumida com moderação, a cafeína é um estimulante super-benéfico para a saúde física e mental.

    Por outro lado, o excesso de café não é legal para a saúde, pois muita “tomação de café” aumenta os riscos de desidratação, de ansiedade, dá dor de cabeça e pode provocar distúrbios do sono. Adicione a esse coquetel de "desprazeres", os problemas de hipertensão, endurecimento de artérias e aumento no nível de colesterol. 

    Outra dica errada é colocar muito açúcar no café. Se tem essa mania, cuidado, porque seu consumo calórico vai aumentar e elevar bastante o pico de insulina em circulação, porque quando a sacarose é digerida, libera frutose e glicose, aumentando a produção de insulina pelo pâncreas.

    Faça como os orientais, evite açúcar no café ou escolha os adoçantes naturaisEsta é a melhor opção para a galera que não gosta de café amargo, puro. 

    10 benefícios do café comprovados pela Ciência

    Doses moderadas de café, diariamente, podem reduzir o risco das seguintes disfunções físicas e mentais:

    1. Problemas cardíacos: Uma pesquisa realizada com 140 mil pessoas pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard (EUA), mostrou que quatro doses diárias do café diminuem em até 11% o risco de insuficiência cardíaca.
    2. Emagrecimento: De acordo com um estudo publicado no International Journal of Sports Nutrition e no Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports (Escandinávia), a queima de gordura ocorre devido à ativação do sistema nervoso simpático e a oxidação lipídica. A cafeína aumenta os níveis de adrenalina no sangue, que dilui as células de gordura e as libera para o sangue.
    3. Problemas respiratórios: A cafeína possui um efeito broncodilatador e reduz a fadiga dos músculos respiratórios. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café, diversos estudos comprovam que consumidores moderados de café têm menos chance de ter sintomas de asma 30% menor do que os não consumidores.
    4. Câncer: o Istituto di Ricerche Farmacologiche Mario Negri (Itália), divulgou em uma análise de pesquisas que ocorreu uma redução de 41% do desenvolvimento do câncer de fígado em pessoas que bebem café, comparado com quem não consome a bebida.
    5. Memória: A cafeína fortalece alguns tipos de memória por até 24 horas após seu consumo, como mostrou um estudo publicado no periódico Nature Neuroscience. A pesquisa foi comandada por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins (EUA).
    6. Pedras nos rins: O cálculo renal, conhecido também como pedra nos rins, ocorre quando há formação de massas sólidas nos rins e canais urinários. A Universidade Católica do Sagrado Coração (Itália), analisou três pesquisas com mais de 200 mil participantes que comprovaram que quem consumia mais café tinha um risco de até 31% menor de ter cálculo renal.
    7. Depressão: Se você tomar doses moderadas de cafeína vai melhorar seu humor e, por isso, afastar a depressão. Um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard (EUA) mostrou que as mulheres que bebiam de duas a três xícaras de café por dia diminuíram em até 15% o risco de depressão. 
    8. Mal de Parkinson e de Alzheimer: que provoca uma degeneração severa dos neurônios causando incapacidade de controle voluntário dos movimentos (tremores), rigidez e instabilidade postural. A cafeína pode proteger o cérebro contra danos causados por dietas ricas em colesterol e prevenir também contra o Alzheimer. Um estudo publicado pela revista científica Journal of Neuroinflammation mostra que a substância reforça a barreira sanguínea do cérebro, responsável por proteger o sistema nervoso central contra substâncias químicas presentes no sangue.
    9. Ocorrência de AVC: Estudos sugerem que beber café regularmente diminui o risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC). O Nurses Health Study (EUA) fez uma pesquisa com mais de 83 mil mulheres e mostrou que o consumo regular de café estava associado a uma redução no risco de derrame, devido ao efeito antioxidante da bebida.
    10. Cérebro: Estudos mostraram que a cafeína tem múltiplos alvos. Os mais relevantes são nos receptores de adenosina, substância que ajuda a disparar uma cadeia de eventos, afetando a atividade da dopamina, um importante mediador cerebral, responsável pela estimulação do prazer e do pensamento.

    O pó do café é super-útil depois de utilizado! Confira aqui como a borra de café pode ser útil.

    De acordo com a Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas (Cocapec), os cinco maiores produtores de café do mundo, pela ordem, são os seguintes:

    1. Brasil

    2. Vietnam

    3. Colômbia

    4. Indonésia

    5. Etiópia

    Depois da água, o café é a bebida mais consumida do mundo, superando o chá, refrigerantes e os sucos!

    O café mais caro do mundo tem um "detalhe" curioso!

    O café mais caro do mundo é o Kopi Luwak ou Café de Civeta, produzido a partir de grãos defecados e semi-digeridos por um pequeno mamífero chamado de Civeta-de-Palmeira-Asiática (Paradoxurus hermaphroditus).